8.12.09

Nippon Koma 09: dia 1

Tenho de começar a maratona de Nippon Koma com um desabafo: este ano a Culturgest (suponho que foi a Culturgest), pela primeira vez desde que o Nippon Koma começou, aumentou o preço dos bilhetes de €2 para €3,5. É certo que €3,5 por um bilhete de cinema não é muito, sim, é consideravelmente mais barato que um bilhete normal de cinema que, em geral, já está acima dos €5, mas para quem, como eu, compra bilhetes para todas as sessões convenhamos que €24 não são €42! Às tantas a Culturgest, a organização do Nippon Koma, enfim, quem tem poder de decisão nestas coisas, bem que podia arranjar um "passe" para quem comprasse bilhetes para todas as sessões, ou uma assinatura, como havia no Festival ACARTE, ou algo semelhante, pois a fidelidade deveria ser compensada... Terminou o desabafo!

Este Nippon Koma começou com uma sessão do Genius Party (Beyond), na continuação de Genius Party que fora programado no ano passado. Mais uma vez esta compilação de curtas de animação de autor do Studio 4ºC mostra-nos filmes muito criativos, com um lado surrealista muito forte e uma execução em técnica mista e de primeiríssima qualidade, misturando 3D com animação tradicional e outras técnicas tanto analógicas como digitais. Não vou destacar nenhum filme, embora tenha os meus preferidos, pois considero-os todos equiparados em termos de qualidade e tenho alguma dificuldade em avaliá-los comparativamente.

A sessão da noite ofereceu-nos uma maratona logo no primeiro dia. Uma sessão do documentário Fences, em duas partes, que ao todo chegou a quase 3h. O documentário era mais um documentário "naturalista" onde nos conta a história de uma aldeia próxima de Tóquio que teve de ser "trasladada" para os terrenos ao lado uma vez que os terrenos onde existia foram ocupados pelo exército para armazenamento de munição aérea. Acabada a Guerra a base passou para as mãos dos norte-americanos e apesar de à partida essa localidade, depois de um certo prazo, voltar por direito para os japoneses. Ao abrigo de uma série de leis mal interpretadas os americanos pervalecem e continuam por lá impedindo os habitantes locais de frequentar os locais onde estão os seus antepassados e onde as suas famílias viveram mais de 300 anos. Mais uma vez trata-se de um documentário que trata de um tema com um certo interesse (acredito que maior para uns que para outros) mas que como filme, ou melhor, obra cinematográfica, deixa muito a desejar e não satisfaz inteiramente.

Nippon Koma

Culturgest

2 comentários:

Leonardo disse...

É mais um Nippon Koma que perco. Honestamente, tenho-os perdido a todos, desde o seu início. -_-

Não há vida de dia, não consigo ter vida de noite. BAH!

Misato disse...

poix... assim não é fácil. pelo menos podes contar com os meus reports ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...